Mar dos Sargaços

 

No Oceano Atlântico, existe uma região onde uma enorme quantidade de algas sargaços, se acumula.

Essas algas marinhas são um tipo comum, encontrado em regiões tropicais.

As algas gigantes de cor marrom flutuam como montes isolados ou enormes massas, tornando-se um santuário para muitas espécies.

Lendas da Era dos Descobrimentos, narram os horrores das embarcações, presas pelas algas flutuantes no Mar de Sargaços.

Cristóvão Colombo, em 1492 descreveu os apuros por ele vividos ao conduzir, a caravela Nina nessa região no norte do Caribe, onde períodos sem ventos podem durar meses.

Dizia-se que, embarcações desapareciam e navios fantasmas, flutuavam abandonados no mar.

A região passou a ser chamada o “mar do medo” ou “cemitério dos barcos perdidos”.

Os ingleses se referiam ao local como “a latitude dos cavalos”, pois muitas vezes, as tripulações dos galeões eram obrigadas a sacrificar os animais que seriam levados aos conquistadores, para economizar água e sobreviver da carne deles.

O vapor Britannia, em seu diário de bordo narra à morte pavorosa dos tripulantes presos pelas algas e pela falta de ventos prolongada.

No ano de 1884 o Britannia encontrou uma embarcação presa nos Sargaços e nela corroídos cadáveres sem qualquer possibilidade de identificação.

O filme de 1968: O Povo dos Abismos, de Michael Carreras, conta todas as lendas dessa região, com aventuras incríveis e o encontro de um grupo de descendentes dos conquistadores isolados há séculos no cemitério dos navios perdidos.